SOROCABA / SP - quinta-feira, 23 de novembro de 2017

O QUE O CÉREBRO NOS DIZ SOBRE A MÚSICA

O que o cérebro nos diz sobre a música:
Revelações surpreendentes e implicações espantosas

Se você perguntar a uma pessoa, escolhida aleatoriamente, se ela é "musical", provavelmente obterá uma resposta negativa, a menos que seja um cantor, dançarino ou toque um instrumento. Em muitos casos, mesmo estes podem responder que não são realmente "musicais".

Em estudo recente, Stefan Koelsch e seus colaboradores do Instituto Max Planck de Neurociência Congnitiva e da Universidade de Leipzin, na Alemanha, registraram a reação elétrica do cérebro a vários acordes diferentes. A pesquisa foi realizada com pessoas que não tinham absolutamente nenhuma formação ou treino musical, e aconteceu através de seqüências que raramente cotinham um acorde que não atendesse as expectativas sonoras dos indivíduos. Então, a primeira conclusão é que as pessoas, mesmo sem treino musical, automática e inconscientemente estabelecem certas expectativas sobre quais acordes "combinam" uma seqüência e quais não.

Esta expectativa inconsciente foi estabelecida tocando-se uma série de acordes que eram apropriados para um certo tom. Já que qualquer acorde individual sempre pertence a vários tons, os indivíduos estavam inconscientemente "extraindo" um "tom central", comparando relações musicais entre diferentes acordes. Quando toda uma seqüência de acordes pertencia ao mesmo tom, os cérebros não mostravam reação especial. Porém quando um dos acordes não combinava com o tom implícito, então produzia um potencial cerebral particular, como que dizendo: "este acorde não se encaixa neste tom". Isto ocorria mesmo sem os indivíduos possuírem conhecimento musical.

O resultado surpreendente, pois demonstra que o cérebro está fazendo o cálculo de complexas relações musicais, criando expectativas e detectando violações dessas expectativas, mesmo se o "dono" deste cérebro não o "sabe", insinuando que o cérebro humano normal é um cérebro musical. De que outra forma poderíamos explicar estas complexas e inconscientes expectativas musicais? Todos, sem dúvida, possuem o equipamento cerebral para "fazer" música. Além disso, os fatos são claros em sua sugestão: a música é parte da natureza humana