SOROCABA / SP - quinta-feira, 23 de novembro de 2017

EPILEPSIA II O QUE FAZER NAS CRISES EPILÉPTICAS

EPILEPSIA II O QUE FAZER NAS CRISES EPILÉPTICAS

  

O que fazer e o que não fazer quando alguém tem uma crise

 

Mantenha-se calmo e procure acalmar os demais.

 

Ponha algo macio sob a cabeça do paciente.

 

Remova da área objetos perigosos com os quais a pessoa eventualmente possa se ferir.

 

Caso o paciente esteja usando gravata, afrouxe-a.

 

Faça o mesmo com o colarinho da camisa.

 

Deixe seu pescoço livre de qualquer coisa que o incomode.

 

Mexa a cabeça dele para o lado para que a saliva flua e não dificulte a respiração.

 

Fique a seu lado até que sua respiração volte ao normal e ele se levante. Leve-o para casa, caso ele não esteja seguro de onde se encontra.

 

Algumas pessoas ficam confusas após terem sofrido um ataque.

 

Se você tem certeza de que a pessoa sofre de epilepsia e que o ataque não vai durar mais do que poucos minutos, é desnecessário chamar uma ambulância.

 

Caso, porém, o ataque se prolongue indefinidamente, seja seguido por outros, ou a pessoa não volte a si, peça ajuda.

 

Se a pessoa for diabética, estiver grávida, machucar-se ou estiver doente durante o ataque, chame uma ambulância.

 

Não introduza nada em sua boca.

 

Não prenda sua língua com colher ou outro objeto semelhante (não existe perigo algum do paciente engolir a língua).

Não tente fazê-lo voltar a si lançando-lhe água ou obrigando-o a tomá-la. Não o agarre na tentativa de mantê-lo quieto.