SOROCABA / SP - quinta-feira, 23 de novembro de 2017

NEOPLASIAS DO SISTEMA NERVOSO - GENERALIDADES

NEOPLASIAS  DO  SISTEMA  NERVOSO - GENERALIDADES

 

 

Tumores do sistema nervoso incidem todas as idades e podem se originar em todos tecidos que o constituem.  Formam por isso um grupo muito heterogêneo.

O tumor mais importante do sistema nervoso periférico é o schwannoma.

 

TUMORES  DO  SISTEMA  NERVOSO  CENTRAL  -   CLASSIFICAÇÃO

Baseia-se no tecido de origem.

a)    Tumores neuroectodérmicos. Originam-se do tubo neural, ou seja, glia e neurônios. Na prática, a grande maioria tem origem em glia, especialmente nos astrócitos.

  • Tumores de astrócitos:  astrocitomas;    Variedade maligna:  glioblastomas
  • Tumores de oligodendrócitos: oligodendrogliomas
  • Tumores do epêndima: ependimomas.
  • Tumores de neurônios imaturos: meduloblastomas

 

 

b) Tumores mesodérmicos. Os principais são os meningiomas, originados em fibroblastos meníngeos.

c) Tumores metastáticos.


 

DISTRIBUIÇÃO  ETÁRIA.

 

Os tumores do sistema nervoso em conjunto incidem mais na infância e na meia idade.

 

A menor incidência é em torno de 20 anos. Em crianças, têm freqüência proporcionalmente maior que em adultos, perdendo apenas para tumores hemopoiéticos.

 

Cada tipo de tumor tem distribuição etária própria.

  • Na criança, os tumores mais freqüentes são astrocitomas do cerebelo e tronco cerebral, meduloblastomas e ependimomas.
  •  
  • No adulto, predominam astrocitomas e glioblastomas de hemisférios cerebrais, metástases, meningiomas, schwannomas e adenomas da hipófise.

A idade do paciente é dado fundamental para o raciocínio do patologista e não pode faltar na requisição de biópsia.

 

LOCALIZAÇÃO

 

Cerca de 85% dos tumores primários do SNC estão na cavidade craniana e 15% no canal espinal.

 

Nas crianças, predominam na fossa posterior (70%). Em adultos, nos hemisférios cerebrais.

 

Cada tumor tem preferência, às vezes exclusiva, por certas regiões.

O exemplo clássico é o meduloblastoma, exclusivo do cerebelo.

Já os glioblastomas ocorrem nos hemisférios cerebrais, e praticamente nunca no cerebelo.

 

Um tumor pode ter comportamentos diferentes segundo sua topografia. Por exemplo, os astrocitomas do cerebelo, próprios de crianças, são do tipo chamado pilocítico, e são de  crescimento lento, bem delimitado, cístico e benigno, sendo sua extirpação em geral curativa.

 

Já os astrocitomas de hemisférios cerebrais, que ocorrem em adultos, são do tipo chamado difuso

 

Geralmente são mal delimitados, infiltrativos e com tendência a transformação maligna para glioblastoma multiforme.

A localização do tumor é indispensável no pedido de exame e influe decisivamente no diagnóstico.

 

MODOS DE CRESCIMENTO E DISSEMINAÇÃO

 

O crescimento expansivo é próprio dos meningiomas e schwannomas. São bem delimitados e não infiltram o cérebro, apenas o comprimem.


Já os tumores neuroectodérmicos (gliomas) apresentam crescimento infiltrativo, ausência de limites nítidos e de cápsula.

 

 

Mesmo quando macroscopicamente parecem delimitados, mostram infiltração no exame histopatológico. Isto torna difícil a excisão cirúrgica completa.

 

DISSEMINAÇÃO  LIQUÓRICA

 

Os meduloblastomas têm tendência a disseminar pelo líquor para as leptomeninges, inclusive espinais.

 

Por isso, nestes casos, o tratamento deve incluir, além da retirada cirúrgica, radioterapia de todo neuroeixo. 

 

Os glioblastomas também podem apresentar disseminação meníngea, mas esta não ocorre nos meningiomas.

 

METÁSTASES  PARA  FORA  DO  SNC

 

Os tumores do SNC, mesmo os mais malignos, não dão metástases fora da cavidade craniana e do canal espinal.

Isto vale mesmo para o glioblastoma e o meduloblastoma, que contam entre os tumores mais malignos do corpo.

 

Nos raríssimos casos em que ocorreram metástases extracranianas, o paciente havia sido submetido a craniotomia, criando-se portanto uma via artificial de saída.

 

BENIGNIDADE  VS  MALIGNIDADE

 

No SNC, tumores citologicamente benignos e de crescimento apenas expansivo podem ter mau prognóstico por causa da localização. P. ex., astrocitomas do tálamo, embora de crescimento lento, não podem ser retirados completamente devido à proximidade de estruturas vitais (hipotálamo, tronco cerebral).

 

Mesmo os meningiomas e schwannomas podem acarretar grande risco cirúrgico por causa da localização (p.ex., base do crânio, ângulo ponto-cerebelar), volume (até o de uma laranja para os meningiomas) e idade dos pacientes, freqüentemente idosos.


Devido a estes fatores complicantes, os termos benigno e maligno, tratando-se de tumores do SNC, devem ser empregados com cautela.