SOROCABA / SP - sábado, 25 de novembro de 2017

INFLUENCIA GENÉTICA NA ANATOMIA CEREBRAL E DEPRESSÃO

Neurociências - A influência genética na anatomia cerebral e na depressão

 

Variações genéticas têm se mostrado importantes influenciadoras no comportamento humano e na anatomia cerebral. Pesquisadores da University of Texas Southwestern Medical Center publicaram, no mês de novembro, um estudo que correlaciona modificações na estrutura cerebral com a depressão e outras alterações mentais.

 

Pessoas com dois genes SERT-s (do inglês serotonin transporterl) apresentam o pulvinar do tálamo, região cerebral relacionada com a transmissão nervosa das emoções, 20% maior, tanto em tamanho quanto em número de neurônios do que pessoas com um ou dois genes SERT-l.

 

O gene também afeta as concentrações cerebrais de serotonina, um neurotransmissor associado com o humor, e alvo de diversos anti-depressivos. 

 

O estudo foi composto por 49 amostras de tecido cerebral, de diferentes pessoas apresentando depressão maior (n=11), transtorno bipolar (n=11), esquizofrenia (n=12) e nenhum transtorno mental (n=15).

 

Os resultados mostraram uma importante relação entre o aumento no pulvinar do tálamo e a predisposição a condições psiquiátricas associadas a alterações emocionais e do humor, como a depressão maior.

 

Fonte: Young, K.A., Holcomb, L.A., Bonkale, W.L., Hicks, P.B., Yazdani, U., German,D.C.. 5HTTLPR Polymorphism and Enlargement of the Pulvinar:Unlocking the Backdoor to the Limbic System. Biol Psychiatry, 2006, Nov 1